Belmonte

Locais de intervenção: Centro histórico de Belmonte; junto ao Castelo

O contacto com o tríptico de desenvolvimento do projeto ARTÉRIA em Belmonte destacou desde logo a vontade de envolvimento da população de uma forma geral, através da sua participação na criação artística. Por outro lado, o investimento do município em equipamentos culturais nos últimos anos desenhou um conjunto de rotas de forma a ser preservada a memória cultural da comunidade. Assim sendo, pretende-se que a criação artística mobilize a participação dos agentes culturais locais num projeto que utilize o vasto levantamento do património imaterial (tradições, costumes, património oral, ofícios, etc.) já existente e que projete Belmonte no confronto com a contemporaneidade.

CAMINHO

Filipa Francisco

CAMINHO é um projeto de criação artística que será apresentado na zona histórica de Belmonte, a partir das biografias e narrativas dos residentes/utilizadores e a sua relação com a dimensão real/fictícia, poética, histórica, social e política dos locais, sobre o caminhar juntos, entrelaçando várias corporalidades.

 

 

Filipa Francisco 

 

 

Gabinete de Histórias de Amor

Acolhimento Rede Artéria em Belmonte

Cartas

Carta de 26 de março de 2020

Para ler aqui

Carta de 18 de maio de 2020

Para ler aqui

Diário de Bordo

26 de março de 2020

Querida equipa, querido público,

desde casa, tenho Belmonte na cabeça e no corpo. Continuo a investigar. Os sons e vídeos que gravámos ajudam-me a relembrar e a continuar a imaginar a peça.
Imaginar uma peça é sempre imaginar o futuro. É sempre sobre algo que ainda nāo nasceu, que se forma a partir de várias ideias, imagens e que, depois de muitos ensaios e improvisações, acaba por ter um corpo e vontade própria.

A Queima do Entrudo

A Queima do Entrudo, pelas ruas de Colmeal da Torre, caminhando em procissão, com velas, as pessoas juntaram-se para iniciar esta procissão pagā. As crianças entre o divertido e o assustado. O padre fingido, ia parando e discursando apregoando o vinho. Bolos oferecidos, copos de vinho e chouriça como hóstia. Um homem vestido de mulher chorava o entrudo e até à queima final do boneco de palha, gritou ai o meu marido, ai o meu marido!

As mãos do Senhor Fernando Nelas

Imaginei-o com Vivaldi (na verdade sonhei com as "Quatro Estações" durante uma semana) depois o Tiago Pereira pegou no meu sonho e no vídeo do Miguel Canaverde e criou a banda sonora.

março de 2020

Do Entrudo

Do entrudo interessam-me os coros de maldizer: retirei esta frase do livro “A face do caos. Ritos de subversāo na tradiçāo portuguesa” de Aurélio Lopes:
"disfarçando a voz pela distorçāo mecânica do funil ou pelo esganiçar propositado, muitas destas acções recorrem à clandestinidade como fator indispensável do anonimato.”

Agenda

Caminho

04-09-2020 21:00

Caminho

05-09-2020 21:00

Caminho

06-09-2020 21:00
Arquivo
A Rua Esquecida
Sofia, Meu Amor!

Rede Artéria
T: +351 239 714 013
E: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

COORDENAÇÃO
ARTÍSTICA
DO TEATRÃO

TEATRÃO

COORDENAÇÃO
CIENTÍFICA

CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS
MUNICÍPIOS
ARTÉRIA

COFIANCIAMENTO

APOIO

INSTITUIÇÕES ACADÉMICAS PARCEIRAS

Universidade de Coimbra , Instituto Politécnico de Coimbra, Instituto Politécnico de Viseu, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Instituto Politécnico da Guarda, Instituto Politécnico de Tomar, Universidade da Beira Interior.