Artéria

Artéria, coordenado academicamente pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e artisticamente pelo Teatrão, é um projeto que pretende criar uma rede de programação cultural regional para agentes/estruturas oriundas de 8 cidades e respetivos concelhos da região Centro – Belmonte, Coimbra, Figueira da Foz, Fundão, Guarda, Ourém, Tábua e Viseu.
Este projeto realiza a sua programação em espaços patrimoniais recuperados ou em processo de requalificação e em equipamentos culturais das referidas cidades. Ao ser constituída por agentes da região pretende ter um impacto no fortalecimento do tecido cultural e artístico e na afirmação deste território na produção e circulação artísticas.

Apresenta-se como uma proposta de trabalhar com um conjunto de parceiros e colaboradores que representam eles próprios uma radiografia das comunidades urbanas em causa, fomentando a necessidade de circulação de informação e trabalhando na capacidade de mobilização dessas mesmas comunidades, transformando territórios meramente geográficos em comunidades relacionais. Nesta dinâmica incluímos um conjunto de cidades da região centro de Portugal, abarcando, não só a zona litoral - Coimbra, Figueira da Foz, mas também a zona mais interior - Belmonte, Guarda, Fundão, Tábua, Viseu e Ourém num esforço conjunto de criação de uma dinâmica cultural regional que tenha um impacto social local, podendo e devendo oferecer uma proposta de mudança ao nível da região e da sua relação com o território nacional e internacional. 

O Artéria propõe para reflexão a forma como a atividade artística pode contribuir para refundar as bases da cidadania, da democracia e da sustentabilidade urbanas. O mote principal prende-se com o facto de a iniciativa integrar múltiplas dimensões, nomeadamente artística, cultural, cívica e académica. O objetivo científico é facilitar uma conceção integrada das questões sociais e culturais do espaço urbano, articulando o conhecimento académico e não académico. Pressupõe para isso a criação de uma Rede de instituições e organizações culturais, artísticas e académicas que funcionem como uma iniciativa de extensão comunitária e universitária, integrando saberes distintos (artes performativas, urbanismo, cidadania, cultura, entre outras). Este esforço de integração multidisciplinar permite a construção de diferentes ferramentas de análise como diagnósticos de necessidades locais, monitorização de impactos, estudos de públicos, identificação de "políticas urbanas" e o mapeamento cultural de agentes, instituições, e outros projetos de intervenção cultural e artística. Este esforço tem como objetivo promover uma ligação próxima entre o conhecimento académico e aquele que advém dos agentes da sociedade civil, criando Projetos Artísticos de Intervenção local, geradores de criação cultural e artística, em ligação direta com a formação artística de comunidades diferenciadas.

Em particular, a monitorização científica do projeto Artéria nas diferentes cidades pretende desenvolver uma relação entre este acompanhamento académico e os processos de criação artística. Esta monitorização implica o desenvolvimento de uma metodologia de investigação-ação com duas vertentes.

A primeira vertente é uma vertente pedagógica, que pressupõe a integração de alunos das Instituições Académicas parceiras e dos seus trabalhos académicos nos processos artísticos de criação a decorrerem nas idades Artéria. A segunda vertente (a vertente da investigação-ação) integra o acompanhamento dos processo de criação artística pelas equipas de investigadores associadas. O Mapeamento Cultural é aqui concretizada na sua direta ligação com os processos de criação artística, assumindo o próprio processo de investigação-ação uma dupla função: análise social e intervenção direta para influenciar a transformação da realidade social e cultural. Por outro lado, deve também desenhar acompanhamento científico que se interligue com os processos da criação e apresentação artística, tal como levantamento sociocultural dos públicos, processo este que implica a utilização paralela de diferentes metodologias de recolha de informação sobre os públicos do ‘Artéria’. Os processo associados à criação são também alvo deste trabalho de monitorização. Ao longo de todo o processo de ensaio da criação nova realizamos uma monitorização qualitativa do processo de construção de cada criação/intervenção. Este processo de monitorização passa pela realização de um conjunto de entrevistas a um conjunto de intervenientes do processo, nomeadamente criadores, agentes culturais, municípios e coordenadores gerais do projeto. Em paralelo, procedemos a um processo de recolha documental dos processos criativos (vídeo e fotografia). Um Diário de Bordo (DB) é também construído, utilizando uma metodologia de Observação Direta em que os investigadores e alunos acompanham ensaios e o processo de criação. No final do projeto, temos como objetivo produzir um conjunto de materiais de divulgação e de produtos finais com vista a valorizar a criação artística, articulando estes processos com os materiais produzidos cientificamente, como relatórios, artigos científicos, teses de mestrado, livros, entre outros.

Equipa Académica

Coordenação

Cláudia Pato Carvalho (CES/Teatrão)

Contacto: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Parceiros Académicos

CES (coordenação), Instituto Politécnico de Coimbra – Escola Superior de Educação de Coimbra (Arte e Design, Teatro e Educação) | Universidade de Coimbra - Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC (Antropologia e Arquitetura), Faculdade de Economia da UC (Sociologia), Faculdade de Letras da UC (Estudos Artísticos e História de Arte), Instituto Politécnico de Viseu, Instituto Politécnico de Castelo Branco (Escola Superior de Educação e Escola Superior de Artes Aplicadas), Instituto Politécnico da Guarda, Instituto Politécnico de Tomar.

Investigadores CES/UC: Margarida Relvão, Luísa Trindade, Paulo Peixoto, Claudino Ferreira, Sandra Xavier

Professores:  Bartolomeu Paiva (ESEC-IPC), Cristina Faria (ESEC-IPC), Cristina Leandro (ESEC-IPC), Nuno Chuva Vasco (ESEC), Pedro Bandeira Maia (ESEC-IPC)

Alunos UC e Politécnico de Coimbra: Beatriz Corvelo (FLUC), Catarina Marques (ESTT-IPT), Clara Sefair (FCTUC), Daniel Lopes (FEUC), Daniel Silva (FEUC), Dulce Branco (FCTUC), Rita Brás (FEUC), Rute Lemos (FLUC), Sara Alves (FLUC), Suse Trinchete (FLUC), Ana Catarina Pereira, Ana Simões, Andreia Patrício, Andressa Almeida, Carolina Aguiar, Cátia Pinto, Inês Silva, João Mendes, João Morais, Júlio Correia, Liliana, Margarida Fernandes, Rebeca Quinteiro, Sérgio Lamancha, Sofia Barros (Curso de Arte e Design – ESEC), Ana Catarina Arteaga, Ana Margarida Sá, Ana Margarida Mendes, Ana Sofia Pereira, Carlos Vieira, Catarina Andrade, Catarina Bento, Daniela Silva, Fábio Saraiva, João Santos, Juliana Almeida, Mariana Fernandes, Pedro Matias, Ricardo Oliveira, Teosson Chau (Curso de Teatro e Educação - ESEC), Antonio Fidalgo, Cátia Carvalho, Ricardo Almeida, Gabriela Ojeda, Beatriz Matias (Licenc. Sociologia, UC)

Investigadores Universidade da Beira Interior: Nuno Jerónimo (UBI), Urbano Sidoncha (UBI)

Alunos UBI: Anabela Quelhas, Adriana Diamantino, Vanessa Santos, Andreia Vaz, Tetyana Ostapchuk

Investigadores Instituto Politécnico de Tomar: Hermínia Sol, João Coroado, Luís Mota

Alunos Instituto Politécnico de Tomar: Sandra Rosa, Débora Fino

Investigadores Instituto Politécnico de Castelo Branco: Cristina Pereira (ESECB), Nelson Antunes (Instituto Politécnico de Castelo Branco - ESART)

Alunos Instituto Politécnico de Castelo Branco: Ana Beatriz Ribeiro, Ana Catarina Lopes, Ana Lúcia Alexandre, Cristiana Brites, Rute Gomes

Investigadores Instituto Politécnico da Guarda: Rosa Branca, Marisa Filipa Teixeira

Universidade de Aveiro: Nuno Dias (Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura – Id+), Carlos Santos (Departamento de Educação e Arte)

Outros Parceiros Institucionais: Associação de Hotelaria e Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), iClio, Reitoria da Universidade de Coimbra, Associação Ruas, Direção Regional de Cultura do Centro, Turismo do Centro

Parceiros locais envolvidos

Coimbra

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto - Serviços e Comércio da Rua da Sofia

Padaria-Pastelaria Palmeira, ERA Imobiliária, Agência de Viagens Melia, Padaria Pastelaria A Nova Penta, Vasco Gameiro-Advogado, Comércio de Utilidades - Pó de Ondas, Restaurante A Cova Funda, Ourivesaria Ferreira, CCS-Centro Comercial Sofia - Templus café, CCS - Café Sofibares, CCS - Café Espaço Aberto, Colégio da Graça - Liga dos Combatentes, Colégio de S. Bernardo, Pingo Doce, Ordem Terceira (Utentes do Lar de Idosos da Venerável Ordem Terceira da Penitência de São Francisco) - Colégio de Nossa Senhora do Carmo, Casa de Saúde da Sofia - Colégio de D. Pedro, Igreja da Graça - Colégio da Graça, Cabeleireiro Maria Teresa Cardoso, Vestuário de Criança/KidsOutlet, Infantário 25 abril, Sapataria e Carteiras Cavalinho, Quiosque Estrelinha da Sorte, Imobiliária Patrocínio Tavares, Sofimoda Vestuário, Dept. Habitação da CMC, A Previdência Portuguesa, LowCostIncome, Café Sofia, Farmácia Figueiredo, Sapateiro Alberto Quintas, Centro de Documentação 25 de Abril, CGD, Pastelaria Sirius, Centro de Trabalho do Partido Comunista Português, Rancho Folclórico As Tricanas de Coimbra, Cosmética da Sofia,  Joana David Perfumaria, Marcus Café, Ourivesaria Ferreira, Ourivesaria Sofia, Pastelaria A Nova Penta, Pastelaria Sírius, Perfumaria Ana, Pmenor – Presentes Comestíveis, Retrosaria Mendes, Seven Art Nails, Sofiabares, Stetty D'Art, Tulipa Negra Florista, Tribunal da Relação de Coimbra, Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra, CAV – Centro de Artes Visuais

Belmonte

Agentes Culturais Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

EMPDS (Empresa Municipal de Belmonte), Black Raven - Consultoria Cultural, Grupo de Cantares Toca da Moura, Soli’s - Associação de Solidariedade Social, Juntas de Freguesia de Belmonte e Colmeal da Torre, Centro Cultural Recreativo do Colmeal da Torre, Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral, Aldeias Históricas de Portugal - Associação de Desenvolvimento Turístico

Figueira da Foz

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

Centro Cultural e Desportivo da Casa do Pessoal do HDFF, Magenta Associação cultural, Centro de Recreio Popular de Marinha das Ondas, Sociedad Filarmónia Dez de Agosto - Grupo de Teatro "As Personagens", Associação Viver em Alegria, Universidade Sénior, Associação de Amizade e das Artes Galego Portuguesas, Pateo das Galinhas, Talentilicious, Conservatório David Sousa, Conquista Panorama-Associação Cultural, Escola de Samba A Rainha, Grupo Recreativo Vilaverdense, Sociedade de Instrução Tavaredense, Grupo Musical Carritense, Grupo Desportivo e Recreativo da Chã, Sociedade Boa União Alhadense, Associação de Coletividades da Figueira da Foz, Figueira Stage School, Grupo Coral David Sousa, Caritas Coimbra, Associação Figueira Sal, Sport Clube de Lavos

Fundão

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

Associação Luzlinar, Pinus Verde – Associação de Desenvolvimento, CNE – Agrupamento 120 Fundã, Associação Cultural e Industrial do Concelho do Fundão (ACICF), Rancho Folclórico da Liga dos Amigos de Enxames, Alexandre Leonardo, Tiago Silva, Diamantino Gonçalves, União de Freguesias do Fundão, Junta de Freguesia do Fundão, ESTE – Estação Teatral, Academia de Música e Dança do Fundão, Projeto Matriz, Museu Arqueológico José Alves Monteiro

Guarda

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

Grupo de Teatro Gambozinos e Peobardos - Associação Cultural e Desportiva da Vela, Conservatório Regional de Música da Guarda, Aquilo Teatro, Casa do Rinoceronte, José  Levy Domingos, Museu Judaico e Sinagoga de Belmonte (Câmara Municipal de Belmonte), Câmara Municipal de Almeida (Memorial ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes), Associação Hereditas, Prof. Maria Teresa Gomes Cordeiro, José Levy Domingos

Ourém

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

Academia de Música e Banda de Ourém, Sociedade Filarmónica Ouriense, Associação Filarmónica 1º Dezembro, Associação dos Andrés, União Desportiva do Pinheiro e Cabiçalva, Grupo Recreativo de Danças e Cantares Lagoense, Grupo Desportivo Sobralense, Associação Cultural e Recreativa Vale do Nabão, Associação Recreativa e Cultural Atouguiense, Grupo de Teatro “Os Pépétos”, Grupo de Teatro Amador de Atouguia, Rancho Folclórico Verde Pinho, Rancho Fólclórico Moleiros da Ribeira, Conservatório de Música de Ourém e Fátima, Cisnes e Poetas Associação de Dança (Arabesque)

Tábua

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

C.M. Vila Nova Oliveirinha, Percelad'arte associação, BTTABUA, Associação M.C. Recreio F. Sinde, Rancho Recreativo de Sinde, Gambiarra Associação Cultural Teatro Perro, Clube Recreativo de Várzea de Candosa, Academia Artística do Município de Tábua, Sociedade de Recreio União e Progresso Mouronhense (Tuna Mouronhense), Rancho Regional e Folclório de Candosa, Grupo cultural da freguesia de Midões, Associação Cultural e Recreativa de Vila Nova de Oliveirinha, Comissão de Melhoramentos de Vila Nova de Oliveirinha, Associação Cultural Popular Marchas de Tábua, Rancho Folclórico de Sinde, Rancho Infantil e Juvenil de Várzea de Candosa, Casa do Povo de Tábua, Casa do Povo de Pinheiro de Coja, Eptoliva - Escola Profissional de Oliveira do Hospital, Tábua e Arganil - Pólo de Tábua

Viseu

Agentes Locais envolvidos nas diferentes fases de mapeamento do projeto

Galeria Saguão, Associação ZUMZUM, Musicando, Cine  Clube de Viseu, Academia de Dança de Viseu, Girassol Azul - Escola de Música, Jardins Efémeros, Casa da Ribeira (Câmara Municipal de Viseu), Museu Várzea (Câmara Municipal de Viseu), Casa de Lavoura e Oficina do Linho (Câmara Municipal de Viseu), Museu Quartzo (Câmara Municipal de Viseu), AFTA - Associação Fomento Teatro Amador, Naco - núcelo de animação cultural de Oliveirinha, Shortcutz Viseu, Acrítica Cooperativa Cultural, Pausa Pogrel - Associação Cultural e de Desenvolvimento, Academia de Dança de Viseu, Grupo Etnográfico de Cantares do Linho Várzea de Calde

Fases do Mapeamento

1ª fase do Mapeamento (2013-2014)

A primeira fase do mapeamento foi organizada através da recolha de informação a partir de duas fontes essenciais: inquérito aberto e recolha documental. Foi construído um guião com perguntas abertas enviado aos vários parceiros do projeto com o objetivo de recolher informação relativa aos recursos culturais e artísticos da região centro (agentes culturas, espaços e equipamentos, eventos). Paralelamente, e através da colaboração com a Direção Regional de Cultura do Centro, foi aproveitada a informação que a própria DRCC tinha já em sua posse sobre este território.

2ª fase do Mapeamento (2014)


Esta fase foi concebida para a sua integração no Workshop Artéria que teve lugar de 28 de maio a 30 de junho de 2014 no Centro de Estudos Socias da Universidade de Coimbra no âmbito do Seminário Internacional Mapping Culture: Communities, Sites and Stories (http://www.ces.uc.pt/eventos/mappingculture/). Neste workshop, co-coordenado por Ceasar McDowell, Sue Stewart, José Carlos Mota e Claudia Pato, os parceiros regionais do Artéria foram convidados para três dias de trabalho conjunto para a conceção de projetos de intervenção cultural nas suas cidades. A este workshop antecedeu um trabalho de campo nas diferentes cidades envolvidas que teve como ponto de partida a metodologia “Campanha de Perguntas”, de forma a identificar as questões/problemas culturais nos diferentes locais. A partir daí, foram elaborados, durante os três dias de workshop, propostas de projetos para estas cidades, projetos estes a serem implementados nos anos de execução do Artéria nas cidades parceiras.

 

3ª Fase do Mapeamento (2015-2017) - início da criação dos pontos de partida para os projetos artísticos de intervenção

Esta fase constitui a terceira fase do mapeamento e vai ao encontro daquilo que se entende que sejam as consequências e implicações do própria processo de mapeamento. Ou seja, depois de feita uma pesquisa sobre os elementos que tornam única uma comunidade, é necessário iniciar um conjunto de atividades e projetos que documentem, conservem e usem estes elementos, projetando-os pra o futuro. O objetivo fundamental do mapeamento cultural é ajudar as comunidades a reconhecer, celebrar e sustentar a sua diversidade cultural com vista a contribuir para o desenvolvimento económico, social e regional. Neste sentido, foram realizados, entre 2015 e dezembro de 2017, um conjunto e oficinas locais em cada uma das oito cidade com os agentes locais acima elencados. Estas oficinas tiveram como objetivo o desenho conjunto de uma estrutura base para a criação dos projetos artísticos de intervenção, através da identificação, no campo cultural, de problemas, necessidades locais e perguntas. Depois deste exercício conjunto e colaborativo foram desenhados pontos de partida para a criação de projeto artísticos de intervenção para cada cidade parceira.

 

4ª Fase do Mapeamento (2016/2017)

Elaboração da candidatura do projeto Artéria ao Portugal 2020 (CENTRO-07-FEDER-000022, Concurso CENTRO-14-2016-03, tipologia de intervenção “Património natural e cultural”, pela Associação Cultural sem fins lucrativos O Teatrão para a coordenação da implementação das atividades artísticas e culturais do projeto nos oito territórios da Região Centro identificados. Com base nas oficinas realizadas nas fases de mapeamento anteriores, foram criadas tipologias (Percursos, Festivais, Novos Tempos) para as cidades parceiras do Artéria. Estas tipologias foram já integradas na candidatura Artéria, efetuada pelo Teatrão e aprovada pelo Portugal 2020 em junho de 2017.

Rede Artéria
T: +351 239 714 013
E: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

COORDENAÇÃO
ARTÍSTICA
DO TEATRÃO

TEATRÃO

COORDENAÇÃO
CIENTÍFICA

CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS
MUNICÍPIOS
ARTÉRIA

COFIANCIAMENTO

APOIO

INSTITUIÇÕES ACADÉMICAS PARCEIRAS

Universidade de Coimbra , Instituto Politécnico de Coimbra, Instituto Politécnico de Viseu, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Instituto Politécnico da Guarda, Instituto Politécnico de Tomar, Universidade da Beira Interior.